Este mês, a segunda safra brasileira está sendo plantada, pois o IAC lançou novas variedades de feijão com características melhoradas.

By Marcelo Lüders

Disponível em Inglês | Português

Estima-se que o carry over do ano passado tenha chegado a 150.000 toneladas de Feijão-carioca. Por outro lado, a primeira safra colhida no Brasil a safra das aguas foi este ano mais do quem nunca “das aguas mesmo”. Em algumas lavouras choveu cerca de 500 milímetros somente no mês de janeiro no estado do Paraná que é o maior produtor.

Parte deste produto danificado acaba voltando para o consumo. Mesmo que tenham saído das lavouras com elevado grau de brotados e manchas após serem secados artificialmente acabam sendo vendidos por 1/3 do valor normal e é consumido nas periferias dos grandes centros. Este produto impede que o as lavouras recém colhidas agora no final de janeiro valorizem. Os valores alcançados para o Feijão-carioca não passam de US$ 580/590,00 FOB nas lavouras de Minas Gerais e Goiás.

Figura 1: Top 9 províncias, área de sementes em hectares 2017/18

Neste momento esta sendo plantada a segunda safra brasileira de Feijões e poderá alcançar 1,48 milhões de hectares. Esta área é praticamente a mesma do ano passado. A grande preocupação é que o o INMET Instituto Nacional de Meteorologia prevê uma severa estiagem para a região Sul do país. Nesta região poderá danificar tanto lavouras de Feijão-preto quanto lavouras de Feijão-carioca.

Traços aprimorados e sabor único

No dia 24 de fevereiro haverá um grande evento de pulses próximo a Brasília a capital federal. La estão plantadas 28 diferentes Feijões e grão-de-bico e três grandes novidades de 2018.

As lavouras comerciais de Cranberry Beans e o Feijão-carioca que não perde a cor o slow darkning desenvolvidas no Brasil pelo IAC Instituto Agronômico de Campinas. Também o Black Eye Beans desenvolvidos pela BR Pulses, uma empresa privada. O diretor de desenvolvimento Dr Adinan F. Lopes explica que foram mais de 10 anos de desenvolvimento junto com um pesquisador Dr Michael Dijie Thung para adapta-lo aos diferentes micro climas do Brasil e acima de tudo conseguir ter nele itens de qualidade importantes para o mercado externo.

Ele destaca que o mercado americano preza por grãos grandes e o sabor que lembra castanhas e não o sabor de legumes de algumas das cultivares hoje plantadas em alguns países.

“Conseguimos produzir em duas diferentes épocas de plantio no Brasil em fevereiro e em maio”finaliza o Dr Adinan. Outro aspecto que estes o produtores vem tendo em conta é que o plantio ocorra somente em produtores com certificações de sustentabilidade e uso de produtos biológicos, mirando os mercado americanos e europeus.

Sobre o Cranberry o Dr Alisson Chioratto do IAC destaca que é uma cultivar de ciclo rápido. O sabor é característico do Borlotti italiano e esta muito bem adaptado agora ao clima do cerrado brasileiro. “Tenho certeza que os enlatadores vão apreciar este Feijão. Temos cadastrado, através dos nosso parceiros, produtores que cumprem com todos os requisitos de sustentabilidade inclusive produtores que tem dado lugar ao uso de produtos biológicos eliminando os defensivos químicos”.

Outra cultivar que vem ganhando espaço é o Pinto Beans Tigre. Desenvolvido no Brasil ele tem a característica muito apreciável de ser “slow darkening” escurecimento lento. O mercado brasileiro é muito exigente com a cor do Feijão. Como é vendido “in natura” o consumidor associa a cor ao frescor o que dificulta a venda de Feijão que tenha escurecido depois de 30/60 dias.

 

Província

 2017/18 Previsão (¹)

Ceará

 407,00

Paraná

 249,00

Mato Grosso

 230,70

Minas Gerais

 116,80

Paraiba

 90,00

Pernanbuco

 78,50

Bahia

 60,00

Maranhão

 51,40

Rio Grande Norte

 35,80

Mato Grosso do Sul

 26,00

Tocantis

 23,80

Rondonia

 19,30

Rio Grande do Sul

 19,30

Goiás

 19,00

Santa Catarina

 18,30

São Paulo

 14,7

Acre

 7,60

Piaui

 6,30

Espirito Santo

 6,10

Amazonas

 3,80

Amapa

 1,40

Rio de Janeiro

 1,20

Distrito Federal

 0,90

TOTAL

 1.486,9

Figura 2: Tablela de dados, área de sementes em hectares 2017/18
  IFT infinite icon

Network Nodes

profile-node-marcelo-luders
Marcelo Lüders, IFT Guest Writer
sponsor-node-correpar
Correpar, Gold Sponsor

Want to become a Guest Writer? Visit the IFT Network to learn MORE!